Entre em contato por email
Siga instagram e facebook

Para acompanhar o meu trabalho e/ou agendar consulta, preencha o formulário ao lado

Nome *
Nome

Rua Senador Dantas 117, 1723
Rio de Janeiro
Brasil

21964692449

Sou Psicólogo corporal, Acupunturista Somático e Facilitador de grupos. Nesse site você vai saber mais sobre meu trabalho, percurso profissional, as técnicas que utilizo em meus atendimentos e vários textos informativos dentro da área de saúde, bem estar e arte.

O DNA dos relacionamentos

Relacionar-se

O DNA dos relacionamentos

Bruno Cuiabano

Imagine que a você pega uma semente que contem o DNA de uma planta inteira, mas não é obvio como ela vai crescer. Pequena ou grande? Delicada ou forte? Existem muitas influencias que variam e determinam como será a planta apesar de seu DNA.

Seu jardim vai crescer ou não dependendo do trabalho que você coloca nele, a água, fertilizantes, o local de suas plantas, etc. Também existem coisas que não dependem de você para que o jardim cresça: o sol, a saúde do solo. Não importa o quanto você queira controlar, os relacionamentos sempre vão procurar sua própria expressão verdadeira.

Podemos amar sem medo em suas infinitas possibilidades. É necessário fluir no que existe e naturalmente construir de acordo com o que reflete as necessidades de cada membro.

Tipos de personalidade diante de relacionamentos

Agentes livres – valorizam autonomia pessoal, tomam suas próprias decisões, pedem pouca permissão para outras pessoas. É fácil julgar achando que eles não tem compromisso, mas isso pode não ser verdade, depende de cada um.

Orientados pela comunidade – focam na interconectividade e nas relações em comunidade. O que diferencia não é o compromisso e responsabilidade, mas sim as formas de negociação. A diferença está na prioridade em diferentes fatores e processos para se chegar as decisões. Vontade de irmandade e convivência com muitas pessoas de forma intensa e diária.

Solos – se apresentam ao mundo como solteiros primeiramente, mesmo estando em relações. Eles não assumem nunca as hierarquia de relações e não querem viver com nenhum parceiro, não querem juntar finanças, não pensam muito em ter filhos, etc.

Entrelaçados – querem estar próximos, compartilhando lugar para viver, filhos, finanças. Se vem como parte de um todo. Pensamento nuclear, hierarquia menos dinâmica, mais constância nas relações.

Obs: Poucos estão nos extremos desse eixos. É mais comum encontrar pessoas no meio, indo de um polo para o outro dependendo do momento da vida.

16997816_422673311426866_9022032768320081400_n.jpg

Estruturas de relacionamento

Grupos diferentes têm diferentes expectativas relacionadas a regras e acordos. Alguns incluem proibições e permissões. Essas regras são difíceis de implementar e perigosas para a relação. Alguns relacionamentos são mais baseados em regras e prescrições e outros são mais fluidos.

A tendencia de nossa mente é sempre colocar hierarquias como um recurso de organização da nossa vida emocional por conta do medo de não sermos realmente apoiados quando precisamos. A hierarquia tem uma função saudável quando é construída naturalmente.

Definindo parceria

Acreditamos que as definições de uma relação amorosa dependem das pessoas envolvidas para caracteriza-la.

Quando as pessoas na relação são mais importantes que a estrutura de relacionamento. Os processos tendem a ficar mais fortes e resilientes.

Não tente colocar antes em caixinhas as pessoas que você se relaciona ou procurar alguém que entre na caixa, flua com as experiências para que elas mesmas te digam como se colocar diante delas.

Questões:

Quais são minhas necessidades nas relações?

Elas estão conectadas a pessoas especificas?

Se meu relacionamento muda, estou ok com isso?

O que acontece quando me conecto a alguém diferente dos meus sonhos ou necessidades?