Entre em contato por email
Siga instagram e facebook

Para acompanhar o meu trabalho e/ou agendar consulta, preencha o formulário ao lado

Nome *
Nome

Rua Senador Dantas 117, 1723
Rio de Janeiro
Brasil

21964692449

Sou Psicólogo corporal, Acupunturista Somático e Facilitador de grupos. Nesse site você vai saber mais sobre meu trabalho, percurso profissional, as técnicas que utilizo em meus atendimentos e vários textos informativos dentro da área de saúde, bem estar e arte.

História e Devir

Esquizoanálise

História e Devir

Bruno Cuiabano

A história flui através do diferente e não o idêntico, regular. A história não se pode captar por leis mecânicas, A história ocorre pelo acaso, o inesperado, o acontecimento, o que se repete nela é a diferença. Pelo Devir
a história ocorre pelo acaso

Para a esquizonálise a história pode ser entendida como em constante devir e transformação. O interesse da esquizoanálise é reconstruir o passado enquanto ele está vivo no presente, enquanto ele está atuante e pode determinar ou já é determinado pelo futuro. Não é o passado que gera o presente, mas o presente que ativa e deflagra o passado. O presente explora, aproveita ou atualiza as potencialidades do passado para construir um porvir. Portanto é importante diferenciar o termo historiografia e história

Históriografia – registro dos fatos encontrado geralmente em arquivos, versão conservada e publicada pelo Estado, as classes dominantes, o instituído e o organizado. Versão com interesse de dominação e exploração com uso de mistificação (colocada como neutra e narrativa)

História – processo de conhecimento que pretende reconstruir os acontecimentos no tempo, mas que assume ser apenas uma perspectiva, e assume que registros incluem desejos, interesses e tendências. Existem múltiplas histórias (não linearidade dos fatos) – multiplicidades econômicas, culturais, ideológicas, do desejo , da afetividade, da vontade, histórias raciais, história das gerações.

Os desejos mais potentes que dirigem a conduta do ser humano na história são os do inconsciente com vontades que ele não controla, que tem a ver com o prazer, o sofrimento, vivências e mecanismos subjetivos mais profundos


devir acontescimento

Desejo e produção é matéria-prima de um processo de criação que se retroalimenta constantemente e gera a própria existência. Infindáveis reinvenções de si, reativando a vida em sua potência criadora.

Assim se delineia uma clínica do Devir.

devir animal,
devir criança,
devir mulher,
o anômalo.

conforme Deleuze e Guattari, a palavra “anômalo” tinha uma origem muito diferente de ‘anormal.

desigual ou irregular de um corpo, aquilo que contradiz a regra, o sistema, o padrão

devires produzem constantemente realidade desejante, desconstroem a concepção cotidiana do corpo e das identidades, dissolvem os processos de personificação e de representação de algo.

devires produzem intensidades, um devir não se estanca, ele sempre flui, original e novo, nunca se fixa e se endurece, dinamiza a realidade em sua constante transformação. Estabilidade sempre passageira e provisória, formas “menores” de se relacionar com o mundo,

um vir-a-ser outro,
vir-a-ser diferente,
o fora,
o desconhecido,
o inesperado,

sempre levam a um evento de estranheza inicial. Podemos dizer que são processos de individuação impessoal, ou modos de subjetivação produzidos num momento único.

é um acontecimento.