Entre em contato por email
Siga instagram e facebook

Para acompanhar o meu trabalho e/ou agendar consulta, preencha o formulário ao lado

Nome *
Nome


Rio de Janeiro, RJ,
Brazil

21 96469 2449

Sou Psicólogo corporal, Acupunturista Somático e Facilitador de grupos. Nesse site você vai saber mais sobre meu trabalho, percurso profissional, as técnicas que utilizo em meus atendimentos e vários textos informativos dentro da área de saúde, bem estar e arte.

O contato improvisação - Dança em direção à vida

Blog

O contato improvisação - Dança em direção à vida

Bruno Cuiabano

Uma dança única que surge do diálogo entre dois corpos ou mais, através de um vocabulário sensorial composto de toque, peso e contrapeso. 

Lida com elementos chaves que favorecem o movimento: inércia, desequilíbrios, quedas e sustentações, limites, espaços, superfícies, alavancas, pontos de apoio, lentidões e velocidades. 

É potencialmente uma ferramenta de autoconhecimento pois favorece o cuidado, a escuta e a observação das relações na atenção e aceitação do outro e de si mesmo. O contato improvisação proporciona movimentos mais livres e justos na vida através de um caminhar juntos, jogo de perguntas e respostas.

Um flanar que se faz dança numa presença movente. uma corpografia - a grafia do corpo - que através das suas diversas escritas coloca em questão como os mapas podem ser construídos.

            Quais são as brechas entre arte e vida, quais os limites da performance ? 

 O corpo em contato improvisação é errante. 

O contato-improvisação funciona como um jogo físico de perguntas e respostas instantâneas, constantes e simultâneas. No ato de jogar com o corpo trabalhamos no movimento seus vetores, suas intensidades e fluxos.

A prática é potencialmente uma ferramenta de investigação do corpo, sua flexibilidade e dilatação, suas transições e oposições, o uso da base, alavancas e pontos de apoio. Aliando-os para o e aprofundamento dos modos de presença corporal e atenção para amplia-los na arte e na vida.

A relação do corpo com a terra e o ar tende a ser vista como uma relação de oposição, uma relação dual. No entanto, se retroalimentam o tempo inteiro, emergindo da terra em direção ao céu, pois para que o corpo alcance o ar com fluidez e presença suficiente ele precisa se nutrir da terra constantemente.

            O corpo se deita à procura do chão para que vá ao céu. Nesse movimento ele precisa descobrir vetores e fluxos como atalhos que o fazem emergir, subir com o mínimo de esforço com amplitude e organicidade. Esse corpo que alcança maiores alturas precisa descobrir novas relações com o chão. A gravidade é constante e impõe barreiras, mas é também a qualidade que fortalece e que move. A beleza do corpo em movimento se dá através da relação intrínseca e eterna com a gravidade e como descobre modos de desafiar e compor com o que invariavelmente nos levará para o centro da terra.

            Novos desafios do movimento acontecem quando a gravidade é vencida pela ajuda de outro corpo o impulsiona para cima. Deixar romper pela força de outro corpo que tem vetores sempre variados e inconstantes. A entrega que se dá no encontro de ritmos e desejos, no comprometimento e no cuidado.

            O corpo que gera oposição entre suas partes ganha amplitude. Toda corda que se enrola em torno de si mesma fica mais forte e não acaba por não se romper tão facilmente, todo nó é também um ponto de convergência que pode servir como barreira e também como ponte entre possíveis vetores criando redes mais complexas. O corpo que busca essa característica de se enlaçar consegue ter maior alcance. Desde que esses nós possam ser feitos e desfeitos com naturalidade, sem dificuldades. Quando as superfícies se estriam e não voltam a característica lisa com facilidade acabam por se esclerosar.

O contato improvisação trabalha aspectos profundos do ser na medida em que amplia a relação de limites e possibilidades entre os corpos. Incertezas para agir na hora certa e esperar quando for preciso. Os movimentos surgem do inesperado.